Economia

O Brasil não precisa importar trigo, afirma especialista

De acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento, a colheita nacional de trigo se aproximou de 8 milhões de toneladas em 2021. Ainda assim, o volume não foi suficiente para suprir a demanda nacional do ano passado — projetada em pouco mais de 12 milhões de toneladas. Contudo, a autossuficiência para o cereal pode estar próxima.

Segundo Evaristo de Miranda, ex-chefe-geral da Embrapa Territorial, “se o clima ajudar e a produtividade média atingir 3 toneladas por hectare (ha)”, a produção nacional de trigo pode se aproximar de 10 milhões de toneladas em 2022.

Em artigo publicado na Edição 107 de Revista Oeste, o especialista afirma que a semeadura do grão no país em 2022 deve cobrir “3,6 milhões de hectares, a maior área dos últimos 36 anos.”

“O trigo pode seguir o caminho da soja e do milho nas últimas décadas”, analisou Miranda. “Em 20 anos, o Brasil passou de 35 milhões de toneladas de milho por ano para cerca de 120 milhões.”

Em entrevista concedida a Oeste, Celso Moretti, atual presidente da Embrapa, afirmou que o cereal desenvolvido para o plantio no cerrado é de boa qualidade. “É o chamado trigo pão, ele tem 15% de proteínas e é um dos melhores trigos do mundo, comparável ao argentino”, disse. “O que nós precisamos agora é de crédito e políticas públicas para viabilizar que a expansão ocorra no Brasil.”

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo