Rio de Janeiro

Policial Foragida, Carla Melo é acusada de matar mulher em Queimados

Policial Foragida, Carla Melo é acusada de matar mulher em Queimados

Carla Patrícia / Isadora

A defesa de Carla Patrícia Novaes da Silva Melo, inspetora da Polícia Civil que matou a secretária e universitária de Direito Isadora Calheiros Pedrosa, de 25 anos, irá recorrer da decisão do juiz do Tribunal do Júri da Comarca de Queimados que decretou a prisão da agente. No sábado, a justiça expediu o mandado de prisão preventiva por homicídio contra Carla, que já é considerada foragida. O caso aconteceu na manhã do dia 26 de novembro, em frente a casa da suspeita, em Queimados, na Baixada Fluminense. Investigações apontaram que o crime foi cometido após uma série de discussões entre Isadora e Carla, motivadas pela descoberta de um relacionamento extraconjugal entre a vítima e o marido da policial.”Com certeza irei recorrer, mediante toda força que possuo. Porque, além de profissional, sou ser humano e estou acompanhando o drama de uma mãe ao ter que abandonar seu filho de apenas 7 meses de idade”, garantiu Igor de Carvalho, advogado da suspeita.Momentos após o crime, Carla entregou sua pistola calibre 40, através de seu advogado, para a Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense (DHBF), responsável pelo caso. Três dias depois, a agente compareceu na especializada e, em depoimento, confessou ter atirado contra a cabeça de Isadora.A defesa criticou a decisão pela prisão durante o período de recesso do judiciário. Carvalho alega ainda que Carla é lactante e que estava colaborando com as investigações.

Fonte: O Dia

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo