Bairros

Rio de Janeiro contabiliza 16 mortes após temporais

O Rio de Janeiro volta a enfrentar a fúria dos temporais. Mais uma vez houve mortes e perdas de conquistas das famílias de uma vida inteira. As fortes chuvas da madrugada de sábado (2) causaram a morte, até agora, de 16 pessoas. Entre elas, mãe e seis filhos.

Em Angra dos Reis, importante cidade turística do sul fluminense, as áreas mais atingidas são Monsuaba e Ilha Grande. De acordo com a prefeitura, a chuva foi a pior da história, com volume recorde de água. Lá, bombeiros ainda buscam desaparecidos. Já são oito mortes por soterramento.

Também na Costa Verde do estado, a cidade de Paraty viveu uma tragédia com as últimas chuvas. Foi lá onde a mãe e seis filhos morreram na casa onde moravam e que foi destruída pelo deslizamento. O único sobrevivente, um menino, permanece hospitalizado. Polo turístico, Paraty contabiliza pessoas feridas e desaparecidas.

A chuva também castigou a cidade de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, onde a força da água deixou bairros inteiros alagados. Lá, os rios Botas e Guandu transbordaram e deixaram a população em desespero. Pelas redes sociais, moradores relatavam que a situação ficou difícil e muitos tiveram que deixar suas casas com água até o pescoço. No Hospital Geral de Nova Iguaçu houve infiltrações em dois Centros de Terapia Intensiva (CTI).

Em Belford Roxo, também na Baixada, foram registrados 180 pontos de alagamento, alguns com deslizamentos de terra. O cenário foi o mesmo em Mesquita, na mesma região, onde um homem morreu eletrocutado quando tentava salvar uma pessoa na enchente.

Na tarde de sábado (2), o governador Cláudio Castro visitou áreas afetadas pelas chuvas na Baixada e anunciou a criação de um gabinete articulado com várias pastas. Segundo Castro, a Secretaria de Estado de Infraestrutura e Obras fez o contato inicial com as cidades de Paraty, Angra dos Reis, Queimados, Nova Iguaçu e Belford Roxo, todas afetadas pelas chuvas, para ceder maquinários.

Em Maricá, na região metropolitana, parte da ponte sobre o Rio Mumbuca cedeu, causando prejuízos. A prefeitura informou que vai disponibilizar verbas para assistência a famílias e linha de crédito especial ao comércio.

Já no município vizinho Saquarema, em 24 horas choveu 160 milímetros, volume esperado para o mês inteiro. Algumas pontes foram danificadas, diversos bairros ficaram alagados, causando perdas aos moradores. 

Na capital Fluminense a chuva provocou alagamentos. As regiões mais atingidas foram Guaratiba e Grota Funda, na zona oeste. Mas o temporal também causou inundações em diversos pontos das zonas norte e sul da cidade.

Fonte: Internet

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo