Automobilismo

Senna é o melhor de todos os tempos, mas Hamilton está “ali” com ele

Gerhard Berger deu seu veredicto sobre quem é o melhor piloto de todos os tempos, com Lewis Hamilton perdendo por pouco Ayrton Senna. Berger, que correu pela Benetton, Ferrari e McLaren entre outros entre 1984 e 1997, não colocou o jovem Max Verstappen na mistura, mas sugeriu que ele pode adicionar mais um título em seu currículo nesta temporada.

Apesar da coleção de títulos mundiais, Berger fez questão de incluir o ex-companheiro de equipe Senna na conversa sobre GOAT (Greatest Of All Times, ou O melhor de todos os tempos) ao dar seu veredicto sobre como Hamilton se compara ao icônico tricampeão mundial.

“Ainda coloco Senna como número um, porque o charme de Senna e a personalidade de Senna eram de outro nível”, disse ele à revista Autosport, “mas no lado esportivo, acho que Lewis é tão bom quanto Senna.”

“No final das contas, para mim, depois desses 45 anos que estou aqui, Lewis e Senna são os dois melhores que já vi.”

Os estágios iniciais desta temporada sugerem que Hamilton pode ter dificuldades este ano, já que a Mercedes tem lutado para encontrar uma maneira de contornar seu problema incapacitante do quique. Na última corrida em Jeddah, o piloto de 37 anos não conseguiu sair do Q1 e acabou a corrida em P10.

O novo companheiro de equipe de Hamilton, George Russell, se saiu um pouco melhor na soma das duas corridas até agora, mas nenhum dos pilotos está feliz.
Com o Grande Prêmio da Austrália daqui uma semana, o tempo está se esgotando para os engenheiros dos Prateados começarem a encontrar respostas antes que seus adversários, Ferrari e Red Bull, se distanciem na classificação de pilotos e construtores.

Com os novos carros de efeito solo, a batalha no topo por enquanto é entre Verstappen e Charles Leclerc, da Ferrari. Os Vermelhos mostraram uma consistência impressionante nos testes de pré-temporada e nas duas primeiras corridas, mas os Touros ameaçam estragar a festa ferrarista, se tiverem resolvido problemas de confiabilidade iniciais. Berger sugeriu que o holandês mudasse sua abordagem da guerra agressiva do ano passado com Hamilton.

“Este ano, se o Red Bull for o melhor carro, talvez Max se adapte ou faça de uma maneira diferente”, acrescentou, “Talvez ele não precise ter tanta agressividade.”

“Quando você é muito agressivo e não dá certo, ou você se toca, ou sai da corrida, e isso dói. Ele pode dizer: ‘Tudo bem para mim, é pior se eu perder esta corrida’, mas os pontos são sempre importantes lá no final. É tudo sobre o quão bom é o pacote carro / piloto.”

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.



Fonte: R7.com

Mostrar mais

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo